June 28, 2016

Uma HISTÓRIA com 34 anos


Legislação da acessibilidade 
tem sido HISTÓRIA DE FAZ DE CONTA

Independentemente do género, da religião, da orientação sexual, da cor politica, etc… o contributo nos processos de decisão relativos à vida das Pessoas com Deficiência dado por Pessoas que vivem essa dificuldade no seu dia-a-dia, é fundamental. A Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência - Ana Sofia Antunes, que foi Presidente da Direção Nacional da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO), entre 2013 e 2015 – e um dos nossos Deputados – Jorge Falcato, trabalhou como arquiteto na Câmara Municipal de Lisboa – são hoje um fator de pragmatismo na abordagem destas questões.

(…) começámos há 34 anos com um Decreto que nunca entrou em vigor (…) tivemos em 1997 o Decreto-lei 123 que determinava que em 2004 todas as cidades estariam adaptadas, mas não foi isso que se verificou (…) em 2006 sai nova lei que amnistia todos os incumpridores e que define para 2017 o que já se tinha assumido em 1997 (…)




A pergunta que fica é o que é que vai acontecer uma vez que mais uma vez uma Lei da República não vai ser cumprida.




Relacionados: 



Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 23, 2016

Help




A melhor maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de fazer muito mais do que pensam…



Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 17, 2016

Alertas CRITICOS


Todos os dias as pessoas com deficiência auditiva têm que ultrapassar os inúmeros obstáctulos que o mundo que temos vindo a desenvolver lhes criou. Esta incapacidade de interagir com a audiência predominante coloca-os em desvantagem. É fundamental minimizar este problema e garantir que todos conseguem perceber o que se passa à sua volta, independentemente de terem algum tipo de deficiência auditiva temporária ou permanente.

Não seria interessante se houvesse uma APP que os ajudasse a reconhecer muitos dos sons críticos mais comuns, fundamentalmente aqueles que assinalam emergências? Uma APP que os alerta-se… através de mensagens visuais, luzes que piscassem ou simplesmente por vibração?



Essa solução já existe e chama-se Hearing Aide


:ANTES:




:DEPOIS:



A INCLUSÃO é um valor civilizacional



Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 14, 2016

UBER ao serviço da acessibilidade


No início do ano, a Uber anunciou o lançamento de um novo e melhorado serviço a pensar nas pessoas em cadeira de rodas. Na altura, o uberWAV foi apresentado em Toronto, no Canadá, mas está cada vez mais próximo de Portugal, tendo já chegado ao Reino Unido

Passou a ser possível abrir a aplicação e pedir especificamente um veículo que esteja adaptado para cadeiras de rodas, facilitando a movimentação de pessoas com algum tipo de deficiência motora ou problema de saúde. O uberWAV está disponível, para já, apenas em Londres e não implica custos extras para os utilizadores.

Segundo a Uber, os condutores ao volante do serviço uberWAV recebem formação nesta área para garantir que são capazes de lidar com os clientes em cadeira de rodas, seja em termos de cuidado, etiqueta ou linguagem. A tecnológica norte-americana avançou que existem 55 veículos equipados para o novo serviço, sendo que o plano é ultrapassar os 100 ao longo dos próximos meses.


Vamos esperar que este SERVIÇO chegue com brevidade a Portugal para que por cá, como em Londres, as pessoas com Mobilidade Reduzida possam ter a vida mais facilitada, sempre que necessitam de se deslocar. O nosso atual serviço de Táxis deixa muito a desejar e já são muitas as queixas sobre o facto de muitos motoristas se negarem a transportar pessoas com deficiência.




Relacionado: uberASSIST


Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 11, 2016

"Selos de ACESSIBILIDADE"


Empreendimentos turísticos vão ter REGRAS para melhorar a ACESSIBILIDADE.

O Estado, por via da Secretaria de Estado do Turismo, vai rever o diploma de classificação dos empreendimentos turísticos para incluir uma área dedicada ao turismo acessível. A Secretaria de Estado da Inclusão reforçou a ideia, considerando que este turismo acessível deve passar pela atribuição de "selos de acessibilidade" a empreendimentos que cumpram determinados requisitos que permitam a acessibilidade a todos.

"A ideia é conseguir fazer algumas inovações ao nível da classificação dos empreendimentos, promover a identificação de selos de acessibilidade e promover, ao nível de roteiros identificadores de equipamentos e serviços, se os mesmos cumprem requisitos de acessibilidade, porque é uma das coisas que as pessoas querem saber quando escolhem um hotel, um restaurante ou um monumento que querem visitar. Querem saber em que medida o podem fazer", considerou Ana Sofia Antunes, secretária de Estado da Inclusão.


Já o projeto "Praia Acessível - Praia para Todos!", que também se enquadra no desenvolvimento do Turismo Acessível, tem evoluído positivamente sempre com o objetivo de chegar ao maior número de praias possível. Em 2005, quando começou, o programa tinha 45 praias acessíveis e, no ano passado, eram mais de 200. O "Prémio Praia + Acessível" relativo a 2015, foi atribuído a praias de referência ao nível das condições de acessibilidade, nomeadamente, a Praia de Vilamoura, no concelho de Loulé (1.º lugar), e a Praia Fluvial de Fraga da Pegada, no concelho de Macedo de Cavaleiros (2.º).



Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 6, 2016

Está na fila?


Passou a estar na lei:
DEFICIENTES, IDOSOS e GRÁVIDAS têm sempre prioridade nas filas.

Está à espera de ser atendido numa seguradora ou num banco? Aguarda pela sua vez no supermercado, numa loja, num restaurante? Pessoas com deficiência, grávidas e idosos passam a ter direito, consagrado na lei, a atendimento prioritário. É pelo menos esta a intenção do Governo, expressa num projeto de decreto-lei que diz que todas as entidades “públicas e privadas, singulares e coletivas que prestem atendimento presencial ao público” passam a ter de garantir essa prioridade.

O diploma define que “pessoas com deficiência ou incapacidade” com direito a prioridade são: aquelas que, “por motivo de perda ou anomalia, congénita ou adquirida, de funções ou de estruturas do corpo, incluindo as funções psicológicas, apresente dificuldades específicas suscetíveis de, em conjugação com os fatores do meio, lhe limitar ou dificultar a atividade e a participação em condições de igualdade com as demais pessoas e que possua um grau de incapacidade igual ou superior a 60%”.




“Esta legislação é o exemplo de legislação que seria desnecessária se conseguíssemos aplicar no nosso dia-a-dia uma coisa simples que se chama bom senso”, reconhece a secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes.



Com a colaboração de Rita Roda Saraiva

Fonte: Público, Andreia Sanches


Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

June 1, 2016

Embaixadores da ACESSIBILIDADE



Recorrer à banda-desenhada para sensibilizar os mais novos para as dificuldades de mobilidade que as pessoas com deficiência ou incapacidade, ou mesmo os idosos e as próprias crianças enfrentam, diariamente, é uma estratégia positiva que pode com maior facilidade promover a inclusão. 




Hoje, dia 1 de junho, onde os mais pequenos são o centro das atenções, 
organizam-se diversos eventos e atividades para as crianças, de forma a celebrar 
Dia Mundial da Criança.

É importante começarmos cedo a alertar os mais pequenos para a necessidade de, em conjunto, criarmos ‘cidades’ de todos e para todos.





Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com