November 11, 2017

Lisboa: Hotelaria versus Acessibilidade



Ultimamente Lisboa tem vindo a ser reconhecida como um destino de eleição por muitos turistas, muito embora a cidade seja muito pouco acessível para as Pessoas com Mobilidade Reduzida. Os responsáveis pela cidade deveriam começar a incluir no seu discurso a temática da inclusão no âmbito da acessibilidade. Uma cidade acessível e inclusiva será sempre uma cidade mais acolhedora e mais humana. A Hotelaria, por sua vez, também ainda não despertou para esta questão. Receber quem nos visita de forma a não excluir ninguém é uma mais-valia para o setor e para a cidade.
A criação de condições adequadas a clientes com necessidades especiais, para além de revelar uma atitude responsável e cívica, representa ainda uma promissora oportunidade de negócio, comprovada por estudos já realizados em países que já despertaram para esta realidade.
Apesar de Lisboa ser capital de um país em que 18% da população tem algum tipo de incapacidade e estar situada num continente com 127 milhões de pessoas com algum tipo de limitação, a oferta de quartos acessíveis representa menos de 2% da oferta total de alojamentos.

A grande maioria dos hotéis lisboetas não encara estas pessoas com normalidade. Cerca de 48% dos hoteleiros ainda ponderam se o Turismo para Todos merece ou não ser desenvolvido e 33% consideram que a inclusão de clientes com necessidades especiais é uma questão de responsabilidade / solidariedade social, e não uma oportunidade de negócio.

Esta falta de visão e as graves falhas da fiscalização envergonham-nos a todos. Afinal somos um povo que se diz ‘saber receber’.
Num contexto internacional iluminado pela Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (ONU, 2006), que Portugal também ratificou, é importante que o Turismo – e neste caso a Hotelaria – dêem o seu contributo para a criação de uma sociedade para Todos.
A Organização Mundial do Turismo atualizou em setembro do ano passado as recomendações sobre o Turismo acessível a todos e prevê que, em 2020, as pessoas com algum tipo de incapacidade representarão 25% dos 1,56 mil milhões de turistas.

Fontes:
- Dora Alexandre, Jornalista programa Consigo, RTP2/INR, I.P.
- “Turismo para Todos na Hotelaria de Lisboa – um custo ou um investimento”, estudo realizado no âmbito de Mestrado na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril


Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

November 5, 2017

Universidade INCLUSIVA

Na Universidade do Porto todos os estudantes têm o direito a usufruir ao máximo da sua experiência académica. É a pensar nisso que a Universidade disponibiliza um Gabinete de Apoio ao Estudante com Necessidades Educativas Especiais, que tem como missão prestar apoio técnico-pedagógico aos estudantes com deficiência ou Necessidades Educativas Especiais – NEE – assegurando as condições indispensáveis ao seu sucesso escolar.

A grande maioria dos espaços do campus universitário (escolas, residências universitárias, etc.), bem como os recursos ao dispor da comunidade académica (bibliotecas, recursos TIC, etc.) foram também pensados de forma a serem plenamente inclusivos. Na Biblioteca Aberta do Ensino Superior, acessível através do Repositório Temático da U.Porto, é possível aceder a conteúdos online, com títulos em Braille, áudio e texto integral. Os computadores que integram o parque informático da Universidade dispõem também de software específico que possibilita a sua utilização por todos os estudantes.

Os direitos dos estudantes com NEE estão consagrados no Estatuto do Estudante com Necessidades Educativas Especiais da Universidade do Porto. Para requerer este estatuto, o estudante deve contactar o elemento que assegura o acolhimento/acompanhamento destes estudantes na respetiva faculdade, e os encaminha para outros apoios especializados, sempre que necessário.




Saiba mais AQUI

Fonte: Serviço de Apoio ao Estudante com Deficiência da Universidade do Porto


Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

October 26, 2017

Pormenores INTELIGENTES

Em quase tudo, a suprema excelência está na simplicidade de moldar a imaginação para acrescentar valor ao nosso dia-a-dia.
















Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

October 21, 2017

Futuro… HOJE

A melhor maneira de nos prepararmos para o futuro é concentrar toda a imaginação e entusiasmo na execução perfeita do trabalho de hoje, Dale Carnegie.




Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

October 16, 2017

1/10 de Chicago!


Quando em Portugal tivermos UM DÉCIMO das condições de acessibilidade como as que existem, por exemplo, em Chicago, podemos dizer que estamos a melhorar.

As zonas pedonais são confortáveis e adequadas para todos, os transportes são acessíveis, os edifícios, os equipamentos são na generalidade inclusivos, etc…

Estamos muito longe desta oferta global acessível. No entanto, aqui mais perto, outras cidades como Barcelona, Londres, Berlim, Bruxelas, Amesterdão, Paris, só para indicar algumas cidades do centro da Europa com quem nos devíamos comparar, já há muito que perceberam que uma cidade inclusiva acrescenta valor à economia e, fundamentalmente, bem-estar aos seus habitantes.

(…) este é o relato de Michele Lee que vive em Chicago e que tem uma deficiência adquirida após um acidente de viação (…)





Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

October 11, 2017

Agora só falta ACESSIBILIDADE ao IMTT

Nova legislação sobre o Cartão de Estacionamento para Pessoas com Deficiência

"Foi publicado em Diário da República de 9 de outubro, o Decreto-Lei nº 128/2017, que amplia o acesso ao cartão de estacionamento de modelo comunitário para pessoas com deficiência condicionadas na sua mobilidade.

O Decreto-Lei nº 307/2003, de 10 de dezembro, que aprovou o cartão de estacionamento de modelo comunitário, apenas prevê a atribuição do mesmo às pessoas com deficiência motora com um grau de incapacidade igual ou superior a 60 %, às pessoas com multideficiência com incapacidade igual ou superior a 90 %, ou às pessoas com deficiência das Forças Armadas com 60 % de incapacidade ou superior.

Contudo, existem outras incapacidades que provocam dificuldades de locomoção na via pública e que não se encontram abrangidas pela legislação atual. O decreto-lei que foi agora publicado vem colmatar esta lacuna, alterando os requisitos de atribuição do cartão de estacionamento.

Assim, a partir de 10 de outubro, data em que o novo decreto-lei entra em vigor, podem ainda usufruir do cartão todas as pessoas que tenham uma deficiência intelectual ou Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) cujo grau de incapacidade seja igual ou superior a 60 %, assim como as pessoas com deficiência visual, com uma alteração permanente no domínio da visão igual ou superior a 95 %".

Fonte: INR


A Sede do IMTT fica na Av. Elias Garcia 103, em Lisboa, local sem acesso a pessoas com Mobilidade Reduzida, particularmente para aqueles cidadãos que se deslocam numa cadeira de rodas. Uma violação clara do Decreto-Lei nº163/2006.  


Para mais informações consulte o Decreto-Lei nº 128/2017, de 9 de outubro



Relacionados:


Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

October 5, 2017

Preciso de uma pessoa ‘NORMAL’





Da autoria da jornalista Conceição Lino, testa a capacidade de intervenção dos portugueses na defesa do outro, a partir de situações ficcionadas. Até que ponto dizemos não à intolerância, ao preconceito, à violência?


(...) Mulher insulta e humilha funcionário que trabalha num Posto de Combustível, 
por ser deficiente (...)



A SIC com este programa evidencia a sua intervenção enquanto empresa socialmente responsável. É um contributo importante em prol da Cidadania. Obrigado SIC.




Saiba mais AQUI


Para o Minuto Acessível,
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com