August 21, 2017

Para as PESSOAS

A qualidade, o conforto e a acessibilidade dos pisos pedonais dos nossos centros urbanos são a ViaVerde para que muitos cidadãos com Mobilidade Reduzida tenham a possibilidade de sair à rua.

É possível complementar a velha calçada, na maior parte dos casos muito degradada e desadequada ao Sec.XXI, com pisos que servem todas as pessoas independentemente da sua condição física.

Lisboa percebeu, com algum atraso, aquilo que tem sido feito, por exemplo, no Porto e em Gaia, bem como em algumas outras cidades do interior. 



Infelizmente, Évora é a cidade que mais excluiu as pessoas com Mobilidade Reduzida. É impossível ‘andar’ por Évora caso precise de uma cadeira de rodas para se deslocar.




(…) ALGUNS EXEMPLOS EM COMO É POSSÍVEL (…)

ALVALADE


BENFICA


CAMPO GRANDE


SALDANHA


ALEXANDRE HERCULANO


BAIRROS HISTÓRICOS



(…) PARECE QUE TAMBÉM É POSSÍVEL ESQUECER-SE O CAIS DO SODRÉ, QUE ESTEVE EM OBRA DURANTE MUITOS MESES (…)



Ainda em Lisboa, também o Parque das Nações ou a Ribeira das Naus, só para mencionar dois locais aprazíveis para se passear com a família e com os amigos, continuam inacessíveis e são 'a nossa Évora cá do sítio'. Ainda ninguém percebeu a necessidade de coexistirem corredores lisos e acessíveis nestas zonas, ‘obras do regime’ que criaram expectativas a todos. Ninguém caminha para novo e o envelhecimento da população é uma realidade.

Ainda há os acessos comprometidos, para referir os mais recentes, ao




Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

August 15, 2017

Testemunhos incríveis…

Dizem que quase tudo é possível, logo há que tentar o que à partida nos parece impossível.

  • Jesse Billauer - Tetraplégico



  • Pascale Paraplégica





Saiba mais em: 
JESSE BILLAUER
DUCT TAPE SURFING




Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

August 9, 2017

Um Mercado mais ACESSÍVEL

O Mercado da Ribeira – também conhecido por Mercado 24 de julho – é o principal mercado lisboeta desde 1892. Foi inaugurado com um interior em ferro e uma grande cúpula de inspiração oriental. 

Em 2014 passou a ser gerido pela revista Time Out Lisboa, e acrescentou bancas dedicadas à restauração e comércio. 

Recentemente, passou a ser um espaço mais acessível para todos aqueles quem têm a sua mobilidade condicionada. O acesso que antes era só em pedra, agora tem um acesso pedonal mais inclusivo, em linha com as novas tendências observadas na maioria das cidades europeias.

Acesso ao Mercado da Ribeira, Avenida 24 de julho

É importante continuar a devolver a ‘rua’ aos Peões


Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

August 2, 2017

Viagem ACESSÍVEL


Viagem Medieval em Santa Maria da Feira promove programa para públicos com necessidades especiais.

No âmbito desta iniciativa que se realiza de hoje a 13 de agosto, no centro histórico de Santa Maria da Feira, a Provedoria Municipal para a Mobilidade, em parceria com a Comissão Executiva da Viagem Medieval, vai levar a efeito um programa de acessibilidades que terá especial enfoque na pessoa com deficiência auditiva, visual e motora.

Haverá visitas guiadas com interpretação em Língua Gestual Portuguesa [LGP], visitas orientadas ao público com deficiência auditiva, visitas orientadas para quem tem Mobilidade Reduzida e visitas orientadas para quem tem deficiência Visual. Deve reservar a sua participação através de uma inscrição prévia, ou ligando para o 918172395 ou através do e-mail comunicacao@cm-feira.pt. O ponto de encontro é na Loja Interativa De Turismo



Conhecer a Viagem Medieval é viver uma experiência cultural diferente. O rigor histórico, dimensão e envolvimento das gentes locais fazem deste evento um produto cultural amplo e abrangente para os vários tipos de públicos. É o maior evento de recriação medieval da Península Hispânica.



Saiba mais AQUI

Com a colaboração de Catarina Emília Oliveira Bento




Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

July 27, 2017

Seeing AI

As deficiências correspondem a um desvio relativamente ao que é geralmente aceite como estado biomédico normal (padrão) do corpo e das suas funções. As deficiências podem ser caracterizadas como temporárias ou permanentes, progressivas, regressivas ou estáveis, intermitentes ou contínuas.

A Microsoft desenvolveu a Seeing AI, uma APP que descreve o que se passa à nossa volta, ajudando as pessoas com deficiência visual a compreender melhor o seu dia-a-dia e todas as interações inerentes às suas atividades quotidianas.


O aplicativo é uma autêntica “câmera falante para pessoas com baixa visão”, ou seja, deficientes visuais podem apontar a câmera dos seus iPhones para uma série de elementos e obter descrições em áudio do que se passa. É possível capturar informações sobre produtos que estão à venda (por meio de seus códigos de barra), reconhecer pessoas e obter informações aproximadas sobre a idade, gênero e as emoções que a pessoa demonstra (apenas com base nos dados capturados no seu rosto), pequenos textos ou documentos, etc.


O Seeing AI, por enquanto, só está disponível em alguns países e regiões – Canadá, Estados Unidos, Hong Kong, Índia, Nova Zelândia e Singapura – e só dá suporte, por enquanto, ao idioma inglês. A promessa da Microsoft é levar a tecnologia o mais rapidamente possível a outros países e idiomas para que todas as pessoas sejam contempladas com brevidade.



Um exemplo admirável da tecnologia ao serviço da humanidade – complementando as suas limitações – da melhor forma possível.



Saiba mais AQUI




Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

July 17, 2017

#BEYOURSELF

A Associação Nacional dos Amputados – ANAMP – uma nova associação de apoio aos amputados portugueses, foi criada em novembro de 2014, no Porto, com o “objetivo simples” de “tirar as pessoas amputadas de casa e mudar mentalidades, criando um coletivo de aceitação”.





Saiba mais AQUI



Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com

July 10, 2017

Menos dois PONTOS


O estacionamento em lugares reservados a pessoas com deficiência passou a ser considerado uma contraordenação grave, o que equivale, em caso de infração, à uma dedução de dois pontos na carta de condução.

Publicada em Diário da República no dia 7 de julho de 2017, a nova lei entrou em vigor no último sábado, dia 8 de julho de 2017.

Para além da dedução de dois pontos na Carta por Pontos, os infratores ficam sujeitos a sanções acessórias, como o pagamento de uma coima e à inibição de conduzir no mínimo de um mês a um ano. Como no caso de qualquer outra contraordenação grave, o incidente fica registado por cinco anos no seu cadastro rodoviário.


Consulte a Lei n.º 47/2017


Os condutores que não forem portadores do Cartão / Dístico de Estacionamento não podem estacionar nestes lugares reservados. Quem estacionar indevidamente num lugar reservado irá ser sancionado.  Para além das sanções já referidas, segundo o artigo 9.º do Decreto de Lei 307/2003, referente à utilização do cartão, este só pode ser utilizado em veículo que transporte efetivamente uma pessoa com deficiência, ou seja, a utilização indevida ou fraudulenta do cartão implica a sua imediata apreensão e suspensão por período de um ano, podendo o mesmo ser apreendido definitivamente no caso de reincidência. São competentes para apreensão do cartão as autoridades de investigação criminal ou de fiscalização do trânsito ou seus agentes.



Relacionados:




Para o Minuto Acessível, 
deixe aqui o seu contributo: minuto.acessivel@gmail.com